Prof. Renato
Prof. Antonio Augusto
13-02-07

Cidade Educativa



São Paulo do Século XIX




Iconografia paulistana do século XIX
Pedro Corrêa do Lago

TELAS DE BENEDITO CALIXTO



Inundação na Várzea do Carmo (SP) em 1892



Inundação na Várzea do Carmo (SP) em 1892


Links para obras de Calixto com várias imgens da cidade de Santos

As mulas que transpotavam todas mercadorias rio/sao paulo /rio

Deveríamos homenagear as mulas, que tanto serviram nosso país, não elege-las.


No início do século XIX a iconografia paulista é extremamente pobre se compararmos a do Rio de Janeiro. São 80 imagens de São Paulo contra 8.000 do Rio de Janeiro.

A hidrografia paulista favorece o desenvolvimento da cidade. O rio Tamanduatei e Tietê facilitava o deslocamento. O relevo igualmente facilitou incursões para a região de Itapetininga. Outro fator favorável, o clima que agradava aos europeus. Fatores geográficos e fatores ecológicos são importantes para a escolha do local onde se instalou a cidade.

Aquarelas de Thamas Ender, 1817, Arnaud Julien Pallière, 1821, de Edmund Pink, 1823, Jean-Baptiste Debret, 1827, Sharles Landseer, 1827, William John Burchell, 1827, retratam a cidade de São Paulo.

Desenho a grafite, Eduard Hildebrandt 1844.

Fotografia de Militão Augusto de Azevedo, 1862 (primeiro fotografo brasileiro).

Óleo de Benedito Calixto, 1892.

Litografia, Karl Von Martius, 1823 – 1831.

A cidade é auto-fágica transformando-se constantemente.


Largo do Piques, c.1862 - Augusto Militão de Azevedo –Fotografia




Largo da Memória, c. 1929



Victor Dubugras – artista do largo da memória.