Profa. Ane Shirley
13/02/07
aula 2

Códigos – Linguagens e suas tecnologias
LING-PCN

Texto para leitura distribuído pela professora.
Notícia – Informação
(fragmentos)

O que fazer para “seduzir¨ uma criança à educação?
Qual a importância da criatividade do educador?
Fazer o aluno enxergar-se num “espelho”?
Como lidar com a indisciplina?

Além do cidadão kayne.


Metalinguagem:
Folha de São Paulo - Resumão/português -
A metalinguagem






Edgar Degas







Enigma de Kaspar Hauser




Octavio Paz











Albert Einstein




Fernando Pessoa

Estudo comparativo. Colin Cherry. Engenharia da comunicação digital.
Site sobre o mesmo assunto:
http://www.movadigital.pucsp.br/

Diferenças comunicação animal e humana. A falha na comunicação animal implica na falha da reprodução da sua espécie.
Metalinguagem, a linguagem pensa sua própria linguagem.
Dificuldades de traduzir o pensamento em linguagem.

Da tela para as palavras – das palavras para a tela.
Pintura - Edgar Degas / Poema - Cristiane Moura

Perdura a conflagração...
Persiste a serenidade:
Conspícuo estratagema;
Pervagam-se entranhas inexploradas,
Colidem-se instintos e cofinações
num afã de libertar-se...
e expede conceitos desnorteantes;
goza-se o enlevo do instante,
ateiam-se as chamas da inocência
e, como um ato de santificação,
purga-se a alma
em meio à escuridão
que, embalde,
tenta extenuar-lhe a pureza.
(Cristiane Moura)

Dialogia da linguagem.A linguagem reverbera.
Do grego
(dia+logia)
dia = transparência (através de)
logos = palavra
diálogo = através das palavras


O Enigma de Kaspar Hauser é uma das obras-primas do cineasta alemão Werner Herzog (Fitzcarraldo). Nesta edição, o filme é apresentado em versão restaurada e remasterizada no formato widescreen anamórfico.
Baseando-se em registros históricos, Herzog nos conta o estranho caso de Kaspar Hauser, um jovem encontrado perdido numa praça em 1828. Ele não falava e não conseguia ficar em pé. Passara a vida inteira trancado num porão. Seria possível civilizá-lo?
Vencedor da Grande Prêmio do Júri em Cannes, O Enigma de Kaspar Hauser é um filme indispensável para educadores, psicólogos e admiradores do bom cinema.

O código verbal é o código hegemônico entre todos outros códigos de comunicação.
(Ane Shirley)





Octavio Paz diz: o tempo e a realidade. A palavra é vida e também é morte. Leitura e escrita são dois códigos distintos.
A realidade histórica não é a realidade historiada. Fatalmente existirá uma perda.

Interessante resposta de Paz ao entrevistador Joung k. Tae, sobre o tempo.

Joung Kwon Tae. Entonces, ¿no existe en su obra el tiempo detenido?

Octavio Paz. El gran misterio es que las cosas duran porque cambian. La vieja metáfora de Heráclito sigue siendo válida: el río nunca es el mismo río…, pero siempre es el mismo río. Hay un elemento permanente y ese elemento es el cambio: el río dura porque fluye. Es verdad que el río nunca es el mismo río, ya que cambia sin cesar. También es verdad que el río es el mismo siempre porque cada uno de sus cambios es una reiteración. El I Ching se funda en la doble realidad del tiempo y de todo lo existente: perpetuo cambio y perpetua reiteración. Incesante vuelta al comienzo, vuelta al origen. Del invierno a la primavera y de la primavera al invierno.


“[...] O verbo se fez carne [...]”. (Evangelho de João1:14) Palavra que se faz vida.

Vygotsky, pioneiro na noção de que o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais (e condições de vida), alega: “o pensamento não se faz acompanhar por um desprendimento da fala. Os dois processos não são idênticos e não há uma correspondência rígida entre as unidades do pensamento e as da fala”.

Edward Sapir, diz, “Os seres humanos não vivem somente no mundo objetivo ou no da atividade social, como se entende comumente, mas sim em função de uma determinada língua que se converteu no meio de expressão de sua sociedade”.

Platão em seu diálogo com Sócrates diz:  as coisas não mudam mas mudam os nomes.

O código da palavra é industrial, pois ninguém utiliza o código individualmente. O começo da indústria é o verbo.

Einstein fala sobre a comunicação verbal:  "Antes do verbal vem a imagem. Imagens voluntárias. Antes da imagem passar pelo conceitos lógicos elas passam pelo desejo.  ... o desejo de chegar aos conceitos logicamente conectados é a base emocional deste jogo vago com relação aos elementos antes mencionados.". (Interessante Einstein escrever sobre comunicação e linguagem, considerando que ele era um físico e disléxico.)

O físico Albert Einstein só conseguiu ser alfabetizado depois dos 9 anos de idade. Falta de inteligência certamente não era o seu problema. Einstein, assim como uma galeria de famosos e geniais, sofria de dislexia, um distúrbio que complica a vida de algumas pessoas diante de um texto. Nas palavras do neuropediatra Mauro Muszkat, médico da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), "a dislexia é a dificuldade que certas pessoas apresentam na aquisição da leitura e da escrita sem que tenham outros tipos de comprometimento".(texto publicado na Gazeta Mercantil – SP por M
aria Lígia Pagenotto, em 10 de janeiro de 2000).



Verso do disléxico
Silvio Bonilha
Eu gosto dos códigos,
Gosto dos códigos vivos,
Com cores e sons,
Com sombras e tons,
Com movimentos,
Eu gosto dos códigos vivos
Não me dou bem com códigos inertes,
parecem-me códigos mortos.




Fernando Pessoa - Pensar é respirar.
(Obra Poética.Cia Aquilar Ed. R. Janeiro, 1965)