Sociologia

 

05-02-07

Prof. Marcio Celeste

 

 

 

 

 

Autores:
Primeira avaliação:
Documentário - filme: Pro dia nascer feliz (trabalho para final de março)
Segunda avaliação:
Trabalho em grupo baseado na  tese da Professora Cláudia Viana

 











Cenas do filme:
“Pro dia nascer feliz”







 

“Pro dia nascer feliz”
Ficha Técnica
Título Original: Pro Dia Nascer Feliz
Gênero:Documentário
Tempo de Duração:88 minutos
Ano de Lançamento (Brasil):
2006
Estúdio:Ravina Filmes / Fogo Azul Filmes
Direção:João Jardim
Roteiro:João Jardim
Produção:Flávio R. Tambellini e João Jardim
Música: Dado Villa-Lobos
Fotografia: Gustavo Hadba
Edição: João Jardim

Premiações
- Ganhou os Kikitos de Ouro de Melhor Filme - Júri Popular, Melhor Trilha Sonora, o Prêmio Especial do Júri e o Prêmio da Crítica, no Festival de Gramado.

- Ganhou o prêmio de Melhor Documentário - Júri Oficial, o Prêmio da Juventude e o Prêmio Bombril de Melhor Documentário Brasileiro, na Mostra de Cinema de São Paulo.

Outro Trabalho do Diretor J. Jardim
- Este é o 2º longa-metragem dirigido por João Jardim. O anterior foi
Janela da Alma(2001).

Resenha do filme por Silvio Bonilha

Inquietante trabalho sobre a educação no Brasil, o documentário faz uma sucinta amostra com estudantes de 3 estados brasileiros, intercalando entrevistas com alunos do sertão pernambucano, do estado Rio e do estado de São Paulo. Com isso, o diretor Jardim mostra as diferenças do ensino nacional. É impressionante ver o esforço que diversos alunos das escolas públicas precisam fazer para prosseguirem no estudo, devido a inúmeras dificuldades, como: falta de transporte, falta de professores, falta de preparo dos educadores, falta de incentivo familiar e falta de perspectiva social. As preocupações dos estudantes das escolas particulares são diferentes nos pontos em que a condição financeira pode suprir, mas a angústia da incerteza do futuro manifesta-se em todas as classes sociais. A aluna da escola pública de Itaquaquecetuba tinha depressão semelhante à aluna da rica escola Santa Cruz - ambas não viam sentido na vida. A aluna pobre do sertão de Pernambuco aprendeu de forma autodidata a escrever poemas, buscando suas inspirações em Drummond de Andrade e outros escritores, revelando-nos que parte das ricas mentes existentes em nosso país são perdidas nas estradas poeirentas do descaso governamental. A educação brasileira tem sido maltratada, negligenciada. Nossos educadores se justificam culpando os alunos de desinteresse. No entanto, se quisermos realmente tratar o assunto, temos que tirar nossas máscaras, enxergar nossas vergonhas, investir nosso tempo e nosso dinheiro na educação. Crianças e adolescentes do ensino público devem permanecer na escola tempo integral. As escolas devem ser reformuladas e reformadas. Das 200 mil escolas do nosso país, 18 mil não possuem nem banheiro. Papel higiênico não pode faltar para limpar tanta sujeira na administração pública escolar. Escolas sem banheiro, sem carteiras, sem professores,  isto tem que mudar. Precisamos encarar seriamente os problemas do nosso sistema público de educação. Temos que cobrar dos nossos governantes. Se não investirmos na educação teremos obrigatoriamente, que investir em presídios, grades, nos preparar para muito sofrimento e muito choro. A educação pode não resolver todos os problemas da alma humana, mas poderá melhorar muito a vida do nosso povo. Continuar como está, não pode. É preciso nosso empenho, “pro dia nascer feliz”.

São Paulo, 11 de fevereiro de 2007

OBS:
O professor foi um pouco confuso, inicialmente disse que era apenas para assistir o filme e fazer anotações, sem a necessidade de ser uma Resenha. Depois exigiu um resumo do filme com o ingresso do cinema para comprovar que o filme foi assistido. Coisas do professor "Marcio".